A Filosofia do Investimento em Valor

Princípios e fundamentos para investimentos racionais.
Princípios e fundamentos para investimentos racionais.

Os mercados de capitais mundiais cresceram à medida que cada vez mais pessoas abraçaram os benefícios do capitalismo com vista a aumentarem a sua riqueza.

No entanto, quantas pessoas dedicaram o seu tempo a tentar compreender o que significa investir?

Suspeito que muito poucas.

A tomada de decisões de investimentos pode ter um impacto significativo na sua vida. Pode assegurar uma reforma confortável, pagar a educação dos seus filhos e proporcionar-lhe a liberdade financeira necessária a realização dos mais variados desejos.

O único  investimento sensato, misto de arte e ciência, é o investimento em valor.  Não é tão complexo e  pessoas com um QI médio conseguem entender e aplicar.

A Filosofia do Investimento em Valor

O investimento em valor (do inglês Value Investing) existe como filosofia de investimento desde o inicio dos anos 30.

Os princípios do investimentos em valor foram articulados pela primeira vez em 1934 quando Benjamin Graham  um professor de investimentos na Columbia Business School, escreveu um livro chamado “Security Analysis”, o primeiro e, ainda hoje, o melhor livro sobre investimentos.

Já foi lido por milhões de pessoas ao longo dos anos. Esta abordagem ao investimento é fácil de compreender, apela fortemente ao senso comum e produziu, ao longo dos anos, retornos superiores a qualquer outra estratégia de investimento.

O investimento em valor não é um conjunto de regras rígidas, mas um conjunto de princípios que formam uma filosofia de investimento. Esses princípios fornecem diretrizes que apontam boas ações e, mais importantes,  afastam das más.

O investimento em valor oferece um modelo e um mindset racional com o qual permite avaliar qualquer ativo.

Porque o Investimento em Valor?

Porque funciona desde que existem registro de retornos. Uma montanha de dados comprova que aqueles que seguiram a filosofia do investimento em valor conseguiram retornos que batem os mercados ao longo de largos períodos de tempo.

Os registos de alguns dos investidores em valor mais bem sucedidos do mundo demonstram a eficácia da filosofia. Entre esses investidores estão: Warren Buffett, Charlie Munger, Walter Schloss, William J. Ruane, Irving Kahn, Charles Brandes, Mario Gabelli, Bruce Greenwald, Seth Klarman, John Templeman, Joel Greenblatt, Martin J. Whitman, e Max Heine – muitos dos quais seguiram Graham em seus princípios de investimento.

Como Buffett disse uma vez, “Siga Graham, e você vai lucrar com a loucura, em vez de participar dela.”

O investimento em valor trabalha no reino da fácil compreensão.

No entanto, mesmo confrontados com provas contundentes, poucos investidores e gestores profissionais compreendem os fundamentos do investimentos em valor.

Segundo algumas estimativas, nos Estados Unidos apenas 5 a 10% dos gestores profissionais aderem a estes princípios. Como Warren Buffett também já disse uma vez, não são necessários mais de 125 pontos de QI. Mais do que isso é um desperdício.

Princípios do Investimento em Valor

Existem vários princípios e conceitos que sustentam a mentalidade  do investimento em valor e são centrais para a filosofia defendida por Graham e seus discípulos.

Dois princípios em particular se destacam: em primeiro lugar, o investidor em valor sempre toma a perspectiva de um proprietário do negócio ao analisar uma empresa. Em segundo lugar, o investidor em valor sempre conta com a irracionalidade dos mercados no curto prazo (Sr. Mercado).

Uma vez que estes dois princípios são estabelecidos durante a avaliação, o investidor em valor deve seguir os abordagens quantitativas e/ou qualitativas para a determinação do valor intrínseco e uma margem de segurança.

Em suma, os 4 princípios básicos do investimento em valor são:

Princípio #1 – Pense como proprietário

A avaliação de ações deve ser feita através da ótica de um proprietário do negócio.

Imagine que você já possui o negócio – você vai se você comprar uma ação, como uma fatia de propriedade da empresa emissora.

Princípio #2 – O mercado pode ser irracional

O mercado tem irracionalmente derrubado o  preço das ações, e o preço não tem qualquer relação com valor real do negócio.

Nestes momentos de queda irracional no mercado, o investidor em valor deverá ficar atento para selecionar excelentes empresas que estejam negociadas a preços muito abaixo do valor intrínseco.

Princípio #3 – Encontre o valor intrínseco do negócio

O investidor deve tentar encontrar o valor intrínseco da ação, que pode ser uma faixa de valores, e geralmente é uma estimativa, porque o cálculo do valor intrínseco não é de forma alguma uma ciência exata.

A avaliação do valor intrínseco do negócio pode ser feita através de diversos métodos e não é apenas uma medida quantitativa.

O valor do negócio deve ser avaliado observando também características qualitativas, como vantagem competitiva, qualidade da administração, governança corporativa, para citar alguns.

Princípio #4 – Tenha uma Margem de Segurança

O investidor precisa de uma margem de segurança – em outras palavras, as ações estão suficientemente desvalorizadas para enfrentar qualquer incerteza ou recessões – e decida se seus estudos e análises apontam para um investimento rentável.

Pelo fato de poderem cometer erros ao longo da jornada como investidor, ao adotar uma margem de segurança o investidor poderá se proteger caso tenha cometido erros de avaliação.

CONCLUSÕES

Investimento em valor é basicamente um conjunto de princípios introduzidos por Graham quando escreveu Security Analysis em 1934.

Fundamentalmente envolve a compra de ações (ou qualquer outo ativo) cujo os preços de mercado que estejam abaixo do valor intrínseco devido à irracionalidade dos investidores. Esta irracionalidade, no extremo, muitas vezes pode empurrar o preço de uma ação bem abaixo do seu valor real.

Um investidor em valor astuto procura determinar o verdadeiro valor de tais ações, aproveitando assim este tipo de irracionalidade do mercado.

Existem vários princípios e conceitos que sustentam a mentalidade  do investimento em valor e são centrais para a filosofia defendida por Graham e seus discípulos.

Aqui no blog pretendo compartilhar diversos desses princípios e filosofias através do estudo de grandes investidores que obtiveram retornos excepcionais ao longo dos anos.

Bons investimentos!

Receba novidades por email (é grátis!)

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Respeitamos sua privacidade. Nunca enviamos SPAM!
A Filosofia do Investimento em Valor
4.9 (97.78%) 9 votes